22 de agosto de 2013

Ditador de Emoções

Começo a ter medo de mim mesmo e da falta de pureza em minhas emoções como outrora. Não sei o que é amar, nunca soube e talvez morra sem saber. O que eu senti não passava de mero desejo? Paixões da puberdade, curiosidades, atrações. A incógnita de sentir o calor e o sabor dos lábios por uma pessoa do sexo oposto. Pode parecer normal, mas discordo, já que me consideram tão sensato, honesto e puro. Porém a tese de que "os homens são todos iguais", talvez tenha mesmo algum sentido. Eu particularmente nesse caso, só mudo pelo fato de estar admitindo essa possibilidade. Sou um ditador de emoções, um oportunista que ao ver uma brecha se joga em mais uma louca e revolucionária paixão. Já que a falta de "amor" à alguém é impossível, pois não saciaria meus desejos, ou a esperança de saciá-los. Autoritário, conservador, atrasado de mais para o meu tempo. Mas será que sou tão ruim assim com os outros? Acho que o problema é que me importo de mais em agradar aos outros, em agradar a quem eu "amo" e acabo esquecendo que o mais importante de tudo, é amar à mim mesmo.

Gabriel Dalmolin

Um comentário:

  1. Adorei!!! Continue aprimorando cada vez mais seus textos...
    Sucesso!! :D

    ResponderExcluir