30 de setembro de 2013

Dantesco

É difícil. A pessoa que você tanto gosta sequer te olhar na cara.Me sinto como um peixe fora d´água.Sufocado!Sem ar e sem saber lidar com esta situação controversa. Não que seja a primeira vez que isto acontece, mas é cada vez pior. Ao invés de aprender com a dificuldade,sofro ainda mais pelo acúmulo de derrotas pessoais que se alastram na minha mente.Aliás,sofrer é quase um adjetivo para mim. Sou como Dante em sua "Divina Comédia".Cercado por círculos de fogo do Inferno.Rodeado pelos 7 pecados capitais.As chamas se revigoram a cada dia que passa. O calor intenso e a ardência infernal me tomam. Assim como o mormaço. Essa é a minha vida dantesca,cheia de poréns,de sofrimentos e ilusões.Mas quem sabe um dia, eu faça algo mais dantesco ainda. Talvez eu suba em um cavalo alado ardendo em chamas e ultrapasse os limites do Purgatório, decepando Lúcifer e chegando na porta de São Pedro. No céu anil. Brandindo o coração por justiça!

Gabriel Dalmolin

29 de setembro de 2013

O Tempo Passa

É incrível como o tempo passa sem a gente perceber.É duro quando você percebe que um ano voou entre seus dedos, e uma série de imagens passa por seus olhos. Distingue que você já não é mais o mesmo. Que amadureceu em certos pontos; decaiu em outros. Novas experiências e aprendizados que a vida e o tempo lhe dão. Assim como um novo conjunto de vitórias e derrotas que vamos colecionando ao longo dessa jornada. Quando você vê, já está envelhecido com o tempo, tanto seu físico como sua psique. A vida não é fácil pra ninguém, pois nossa vivência é uma simples passagem. Curta como filmes de animações. Tão rápida que quando nos damos conta, já está na hora de desembarcar do trem. E qual é o maior medo disso? Talvez não seja a morte em si. O ato de meu corpo se tornar pó na escuridão vazia não significa nada. O pior é não deixar nada de seu legado para as próximas gerações, nada de especial ou do seu diferencial, se é que existia. Padecer e cair na cova falida sem representar absolutamente nada para o mundo ou pras pessoas que rodearam a sua vida. De sequer sua falta dê saudades aos que contigo viveram. Esse é o maior medo, o medo de ter sido inútil, ou também, de morrer sabendo que você não aproveitou as oportunidades e a "liberdade" que a vida lhe concedeu. Sucumbindo na terra fria e inanimada como se fosse o que você realmente foi: um Nada.E ver que a cruz que enfeita seu sepulcro não passa de uma entre bilhões.

Gabriel Dalmolin

*Publicado no Jornal "O Corujão" - Rodeio-SC/ Outubro de 2013

28 de setembro de 2013

Meu Colorado

Se sou valente, forte e destemido? Sim. Pois colorado sou. Se tenho medo ou nojo de sangue? De forma alguma, pois meu manto é tingido desta cor, e se eu sangrar no meu manto? Pois bem, vou deixá-lo escorrer para o vermelho ficar ainda mais forte e destacado. Para os outros verem qual é a honra e destreza que correm em minhas veias. Não sou um mero apreciador de futebol. Sou colorado e não me envergonho. Já tive muitas decepções, mas que nem chegaram perto perante as glórias deste "Clube do Povo". Mas porque do povo? Pois não temos distinção de raça,cor nem classe social. Somos de todos e para todos. Para todos os colorados; como eu. Os braços sentem câimbras de tanto erguer taças, os pés estão cansados de tanto chutar o ar na frente da televisão como se você estivesse jogando junto. O mesmo acontece com a cabeça, quando tentamos cabecear junto para o lance sair com mais força. Na verdade, ajudamos. Com a nossa paixão a força positiva irmana nossos guerreiros que representam essa camisa vermelha com fervor. Coragem não me faltará, dificuldades sempre haverão, mas nada será impossível enquanto eu estiver usando esse manto sagrado. Este manto do Meu Colorado.

Gabriel Dalmolin

21 de setembro de 2013

"Voto: Mágico poder dos quatro caracteres"

Voto... Uma palavrinha mágica de quatro caracteres que aparece a cada quatro anos, quando temos as eleições. Mas, afinal, para que serve o voto? Ou melhor, qual a sua importância? Bem, não sou nenhum perito no assunto "votar", pois sequer tenho título de eleitor, apesar de, nas próximas eleições, eu já vou querer tê-lo para dar minha contribuição à sociedade. Votar é eleger os governante que vão nos representar" - Sim, claro, isto nós já sabemos. O que poucos sabem é que é um ato de cidadania que deve ser levado muito a sério. Votar é sobretudo uma questão de ética, de bom senso e de moralidade. É também um gesto importante independente de sermos um no meio de milhões. Abraham Lincoln disse que "Um boletim de voto tem mais força que um tiro de espingarda"; ou seja; é no voto que está o valor, o poder de decisão. Ainda que sejamos jovens, temos de acompanhar a política, ler muito, não se deixar corromper, dizer não ao jogo sujo, não achar que "tudo é roubalheira". Pode parecer irônico, mas perante a democracia, os governantes são nossos subordinados, e não o oposto do que se acredita. Ainda podemos ter muita esperança n país se soubermos votar bem. A juventude brasileira é diferente dos jovens de outras partes do mundo. O jovem do Brasil está acostumado a passar por situações difíceis e isso abre uma porta que é um verdadeiro diferencial - a criatividade. E é esta característica que deve ser usada na hora de escolher nossos representantes através do voto. Enfim, fica a dica: é preciso nos preparar para votar bem. Cuidemos muito dessas quatro letrinhas (VOTO) que definirão os próximos quatro anos.

Gabriel Dalmolin

*Redação feita para o Concurso "O que é cidadania? Qual a importância do voto?", na qual meu texto foi um dos DOIS escolhidos na escola.

"Voz: Asas para um país melhor" (Jovem Senador)

Vivemos tempos difíceis, pois, por mais que façamos parte da sexta maior economia do mundo, ainda nos afundamos nos problemas sociais. Nosso povo é muito desigual já que enquanto dois ou três comem em talheres de ouro, milhões sequer têm o que comer. Afinal, de quem é a culpa desse paradoxo socioeconômico? A resposta é fácil: Nós! Nós que fazemos parte do povo que tem voz e vez para mudar os rumos da nação. A culpa seria dos governantes? A resposta é não! O Brasil é uma democracia, onde nós cidadãos, temos o direito de escolhermos o melhor candidato para nos guiar rumo ao desenvolvimento. Diz nosso próprio hino "Deitado Eternamente em berço esplêndido" e isso é confirmado na atitude acomodada do brasileiro, na passividade de tudo aceitar, a ponto de não nos unirmos para reivindicar por justiça e igualdade. Não cito guerras ou vandalismo, estas são atitudes de baderneiros de quem não assume uma postura ética na sociedade nem se importa com o direito e a liberdade do próximo. Falo de união,de exercer nosso papel de cidadania através da participação. Sim, cito a participação do jovem principalmente. Não somos o futuro do Brasil, e sim, o presente imediato. Temos de nos envolver com as organizações de nossa escola, nossos bairros e municípios, desenvolver um espírito de liderança e colaborar para rejuvenescermos essa nação envelhecida,injetando-lhe um sangue novo, sem contar que o voto é um importante gesto de democracia. Juventude, ter voz para ter vez: Eias a nossa arma! E é mais leta que todo o arsenal do mundo. Só assim transformaremos nossa "pátria amada" em uma nação de futuro próspero, voando nas asas da paz e da liberdade!

Gabriel Dalmolin

*Redação feita para o concurso "Jovem Senador". Na qual meu texto foi o ÚNICO, escolhido na escola, e consequentemente no município. (Junho/Julho de 2013)

20 de setembro de 2013

Gaúcho, de fato

Gaúcho, é um povo forte, aguerrido, que não larga de mão sua história, sua tradição. Sempre se impôs sobre as coxilhas sua fibra guerreira, peleando contra os inimigos que tentaram "pisar em seu pala". Mas gaúcho, não é um mero gentílico para os cidadãos Rio-Grandenses. Não, não preciso nascer ou viver no Rio Grande para ser gaúcho. Ser gaúcho, ser guasca, não depende disso, é muito além desse mero "porém". É um estado de espírito. Gaúcho pode ser catarinense, paranaense, sul-mato-grossense ou de qualquer outro estado. Aliás vai além das fronteiras brasileiras, pois para ser gaúcho de fato, pois existem argentinos,uruguaios e paraguaios que cultivam a tradição muito mais que nós brasileiros. Enfim gaúcho é isso tudo, é o mate, o cavalo, a prenda, o churrasco com arroz carreteiro, e a música emanada no ronco das gaitas sanfonadas, do reponte dos violões e no bater dos cascos nas arenas. 


"Foi o 20 de Setembro, o precursor, da liberdade"


Gabriel Dalmolin


Te amando

A vida não está me facilitando,
O amor está cantando no meu peito,
Estou me jogando nesta onda,
E com o  tempo vou morrendo.
Minhas pernas ficam tremendo ao te ver.
Meu coração vai pulsando por você.
Fico sonhando...
Estou te beijando.
Você me abraçando.
Estamos felizes, com o vento assobiando.
Os passarinhos cantando.
Você sussurrando no meu ouvido.
E eu delirando, com seu jeito de menina.
Estamos nos amando!
E cada vez me inspirando,
Respirando essa paixão.
Ouvindo essa canção.
E cantando com meu violão.
Mas de repente, tudo vai sumindo...
Meu sonho vai acabando,
Meus olhos vão se abrindo.
Com lágrimas chorando;
Fico sempre te esperando.Com meus olhos brilhando.
Para sempre...Te amando!

Daniele Chister Pintarelli
Gabriel Dalmolin
Julia Depiné
Laiana Larissa Anzini

*Texto na versão em português, de um trabalho de espanhol.

18 de setembro de 2013

Saída de Campo - 2ºs Anos (Parte 1)

Hoje, dia 18/09, fomos com as duas turmas do 2º ano, a turma "A" que é a de espanhol, na qual estudo, e a "B", que é a turma de inglês. Nossa viagem será dividida em duas partes, a primeira essa semana, onde fomos para o Ipiranga e Vale Nova, na outra semana veremos outros bairros de Rodeio, para o Projeto de Sociologia, na qual estamos trabalhando sobre o Turismo em Rodeio. Aqui estão as fotos:


Eremitério dos Padres - Ipiranga 
Eremitério dos Padres - Ipiranga 
Gruta de Nossa Senhora de Lurdes 
Placa do Centenário da Capela do Ipiranga  
Igreja de Nossa Senhora de Lurdes - Ipiranga 
Eu e a Débora Schlei 
Eu e a Tainara Boaventura 
Cristo Rei - Ipiranga 
Salto - Vale Nova 
Vinícola San Michele - Vale Nova

Gabriel Dalmolin


16 de setembro de 2013

"Amigo é pra essas coisas"

Sempre falei, ou melhor, proclamei por meio das minhas modestas palavras e versos a diferença de um AMIGO e de um simples colega. No meu ver, você descobre quem realmente é seu amigo por uma palavrinha mágica de 7 letras: A-T-I-T-U-D-E!Essa é a melhor forma de descobrirmos quem realmente se importa contigo. Outra palavra seria SACRIFÍCIO e COMPREENSÃO.Mas acho que a atitude de amigo é um diferencial, pois compreender é o básico que um amigo deve fazer, e o sacrifício vem como consequência da mistura desses dois outros elementos que citei. Um amigo de verdade não te deixa na mão nas horas de aperto, ele percebe quando você está chateado, com dores extremas e insuportáveis, quando você sente falta de alguém especial, e quando você está completamente apaixonado(a). E sabe qual é a recompensa maior para um amigo de verdade? É ver que a sua ATITUDE, a sua COMPREENSÃO e por fim o seu SACRIFÍCIO, valeram a pena,pois ficará sempre guardado no coração o sentimento de felicidade por um dia ter sido útil para com quem você gosta, e se importa. E esse sentimento ninguém jamais irá tirar de você, nem de mim. Aliás, como diz o ditado "Amigo é pra essas coisas".Enfim... É difícil imaginar o quanto é bom saborear o êxtase da gratidão.

Gabriel Dalmolin

Foto: Tainara Franciele Boaventura

14 de setembro de 2013

Minha Rodeio

Rodeio? É o nome da minha terra.
Tão pequena, mas tão bela.
Toda branca de neve na serra;
Existe cidade melhor que ela?

Dos italianos que aqui vieram,
Muito pouco nos restou.
Só as memórias que marcaram
E a fé em Deus que nos abençoou.

Nosso Cristo é Rei, e não Redentor...
Nosso Ipiranga é sem Imperador!
Não somos sustentados pela dor;
Mas sim, unidos pelo amor.

Gabriel Dalmolin

*Feito para um Projeto de Sociologia.


video




9 de setembro de 2013

Patriotismo?!

No dia 7 de Setembro, o Brasil completou 191 anos de "independência" e um dia que marca um grande evento de "patriotismo" através do desfile cívico. Independência entre aspas, porque ainda somos dependentes de outras nações, sejam as potências do Primeiro Mundo, ou das pequenas nações que nos rodeiam. Já o "patriotismo" é porque creio que exista outras formas de se mostrar amor a nossa pátria. E também por não termos este amor tão expresso quanto americanos, franceses ou britânicos. Talvez isso se deve a imensa diversidade cultural que existe no Brasil, assim como a desigualdade social nos quatro cantos do país, que separam os extremos de Norte à Sul. Mas isso, a falta de identidade com o próprio povo, não é o maior problema. A escassez e decadência dos valores deve ser a maior dificuldade da nação em termos éticos. Onde ouvir hipocrisias e hostilidades é cultura e o que é verdadeiramente uma tradição secular não passa de coisa para gente velha e desatualizada. Sabe o que nos falta para sermos patriotas? É ter o respeito por nossos próximos, nossas famílias, amigos e por fim...por nós mesmos.

Gabriel Dalmolin

*Publicado no Jornal "O Corujão" - Rodeio-SC/ Setembro de 2013

PARA DESCONTRAIR - 19ª EDIÇÃO

Peço desculpas aos meus leitores por ter ficado meio afastado do blog nos últimos dias. Andei meio doente e cheio de afazeres (trabalho,escola,curso etc.) e isso me retardou a escrever esse que é o meu post de número 300. Eu pensei muitas vezes o que postar, fazer algo mais pessoal. Mas como gosto de valorizar meus amigos e sobretudo os talentos deles, achei melhor colocar um amigo muito especial meu, Pedro Felipe, na qual mostra todo o seu talento na voz e nos acordes de seu violão. Espero que gostem!



Gabriel Dalmolin